NATUREZA

A natureza clama por subsídios

De quem a utiliza, monopoliza

De quem não se desculpa

De quem passa a culpa.

A natureza cansa

Não dança

Descansa.

Pede socorro, justiça

Vítima em uma sociedade consumista

Sem refúgio

Sem escape

Ninguém dá ouvidos

Ensurdece

Deixa-a muda de tanto gritar.

design sem nome
Rio Paraopeba, Minas Gerais

AUTORA: Mar Cortéz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s